Crianças são sequestradas no novo episódio de The Blacklist
Novos teaser da nova temporada de Fear The Walking Dead
Novo episódio de Criminal Minds traz caso de meninas presas em porão há 10 anos
Problemas para o Demolidor na nova temporada?
Novo trailer de Zoolander 2!
American Horror Story

Marmotinha cobrindo a peça que tem Nayla Brizard interpretando a Morte, confere ai

 

Não sei em que planeta eu estive que não vi isso antes!!! olha que foda essa paródia que a galera do The Hillywood Show fez, cara que toppppppppppppp não sei o que é mais legal nesse vídeo, acho que tudo kkkkk HUNTERS NEVER DIE!!!!! BORA CONFERIR!!!

Gil

– MERDA! MERDA! MERDA!

– Calma senhor, eu tenho que limpar para poder dar os pontos.

– AQUELA FILHA DA PUTA! EU TINHA QUE PEGAR AQUELA PORRA DE AVIÃO!

– Senhor, se não ficar parado não vai dar pra limpar.

– VAI SE FUDER GAROTA! ESSA PORRA TÁ DOENDO, CHAMA UM MÉDICO LOGO

– Ele vai mandar que eu limpe.

– CHAMA LOGO!

– Grosso!

Esse era um dia terrível para a enfermeira Fernanda, era seu primeiro dia naquele hospital, ela trabalhava diretamente com o doutor Celso, e aquele paciente era o pior que ela tinha encontrado até hoje, seu nome era Gil, um empresário que achava que era melhor do que todo mundo, ele estava no estacionamento do aeroporto quando uma mulher o mordeu na mão direita, ele gritou por ajuda e muitas pessoas pensaram que estava sendo assaltado, alguns policiais que escutaram o grito correram até ele, no começo eles pensavam que era a mulher que estava sendo atacada.

– SE AFASTA DELA AGORA! – gritou um dos policiais.

– ESSA PUTA ME MORDEU!

– SE AFASTA! – o policial gritava para o Gil, mas a mulher que tinha sido empurrada já estava em pé e caminhava em direção aos policiais, ela estava tentando alcançá-lo cm a mão, e o policial se aproximou dela.

– A senhora está bem? – ela o segurou pela parte de trás do pescoço – tudo bem senhora? – o policial a abraçou e nessa hora ele foi mordido.

Os outros policiais foram em socorro do amigo mas já era tarde, a mulher arrancou um bom pedaço de carne e o sangue jorrava sem parar, um dos outros policiais chutou a mulher, ela se levantou outra vez e veio em direção a eles, ela mordia o ar, seus olhos eram diferentes, um dos policiais abriu fogo contra ela, mesmo depois de cinco tiros ela continuava a andar e conseguiu morder mais dois policiais antes de finalmente ser abatida.

Gil queria pegar o avião mas as autoridades do aeroporto não permitiram já que ele estava envolvido no crime, uma mulher matou um policial e feriu outros dois, ele deu seu testemunho e foi liberado, uma ambulância o levaria para o pronto socorro, mas ele não quis, e para sorte de Fernanda ele resolveu ir para o hospital particular em que o doutor Celso trabalhava.

– Ela te pegou de jeito! – disse o doutor Celso entrando no quarto em que Gil ainda estava xingando.

– AQUELA PUTA! – ele gritava.

– Gil, você sabe que isso é um hospital nê? Então fala baixo. – a Fernanda estava ao lado do médico – a enfermeira vai limpar para poder dar pontos.

– Eu pago caro para ser atendido por uma enfermeira? – Gil falou cm deboche.

– Deixa de ser chato, Fernanda limpa por favor. – Gil gritou quando ela começou a limpar mas dessa vez permitiu.

– Eu fiquei sabendo o que aconteceu, eles mataram mesmo a mulher? – perguntou o doutor que não tinha deixado o quarto.

– Aquela puta mereceu!

– Ela estava doente Gil.

– Como assim? AQUELA FILHA DA PUTA ME PASSOU ALGUMA COISA? EU SÁBIA! FILHA DA PUTA! – ele se levantou.

– Calma Gil! – o doutor Celso o segurou pelo braço e o fez sentar.

– ELA ME PASSOU O QUE? – Gil estava com lágrimas nos olhos, Fernanda achou engraçado.

– Ainda não sei, o que sei é que já tem casos disso no mundo todo, você não assiste TV?

– Eu não tenho tempo pra isso – a notícia da doença deixou Gil preocupado demais para xingar.

– Olha aí, a Fernanda já terminou de limpar, vou pedir pra você fazer alguns exames tá legal?

– Que merda!

– Pode dar os pontos – disse o doutor para a Fernanda.

E mesmo querendo fazer com que Gil sentisse um pouco mais de dor, ela fez bem o seu trabalho, ele recebeu 12 pontos, Gil queria ir embora mas o doutor o aconselhou a ficar e fazer os exames o quanto antes, e o medo fez com que ele ficasse, o quarto era particular então Gil se deitou, pegou o controle remoto da TV e a ligou, estava passando um filme antigo, logo a exibição parou para uma notícia urgente.

“- Boa tarde, a doença misteriosa está se espalhando em várias regiões do mundo, recebemos um vídeo da nossa correspondente nos Estados Unidos que mostram o caos nas ruas” – um vídeo foi exibido.

Gil não sabia o que falar quando viu um homem que agia exatamente igual à mulher que o atacou, e ele também foi morto do mesmo jeito, ele não brigou nem xingou durante um bom tempo, fez um exame de sangue e se deitou para esperar o resultado, ele estava muito preocupado com a situação em que se encontrava, e mesmo com 12 pontos sua ferida não parava de sangrar, e agora ele estava ficando com febre. Os exames de sangue foram inconclusivos, e Gil disse que não sairia do hospital até ter certeza que ficaria bem, Fernanda não ficou muito feliz em ouvir isso, mas por sorte já estava na hora dela ir pra casa, antes de sair mais quatro pacientes deram entrada no hospital e todos com casos parecidos, foram mordidos.

Já era noite, Gil ardia em febre, agora ele estava dentro de uma banheira cheia de água gelada para tentar abaixar a temperatura, mas não deu certo, e o doutor Celso já tinha ido embora, agora quem estava de plantão era uma médica que Gil nem quis saber o nome, e nem precisou já que naquela mesma noite ele se afogou na banheira.

Apenas no dia seguinte descobriram o que tinha acontecido, o hospital em que Gil estava era um dos mais luxuosos do país, os quartos tinham de tudo incluindo um pequeno frigobar, ele foi encontrado pela Fernanda que mesmo estando em seu dia de folga foi trabalhar, já que recebeu uma ligação do doutor Celso dizendo que mais pessoas deram entrada no hospital. Ela se assustou ao ver o corpo nu de Gil dentro da banheira, e se sentiu culpada por não estar triste com a situação, o corpo dele foi levado para o necrotério do hospital, e lá dentro já havia dois corpos, eram de pacientes da noite anterior.

Quando o doutor Celso chegou ao hospital examinou o corpo de Gil, colheu algumas amostras, ligou para um laboratório e pediu que viessem buscar para fazer uma análise, mesmo sendo um hospital ninguém havia morrido ali antes, o necrotério estava novo, agora eram três mortos de uma só vez, Fernanda tentou entrar em contato com a família de Gil, mas não havia ninguém que estivesse no país, a família das outras pessoas já tinham sido avisadas, e na TV outros casos de ataques foram relatados. Anoiteceu, os dois corpos foram liberados para o velório, apenas Gil continuava lá, Fernanda ainda estava no hospital, mais pacientes chegaram, ela entrou no necrotério e se sentou ao lado de Gil, ela só queria descansar um pouco, nunca havia trabalhado tanto.

Gil mexeu um dedo, Fernanda tomou um susto tão grande que caiu da cadeira em que estava, se levantou e foi até o homem, seus olhos estavam fechados mas estavam mexendo, ele emitia um som parecido com um gemido, ela saiu correndo da sala e gritou por ajuda, um médico apareceu, juntos eles se aproximaram de Gil para ajudá-lo, ele abriu os olhos, mas não eram iguais a antes, Fernanda o segurou pelo braço esquerdo, o médico o segurou pelo direito, Gil olhou para ela e depois para o médico e o mordeu. Outra pessoa estava no quarto em que Gil foi morto, a TV estava ligada, um jornal estava sendo exibido.

– Um massacre aconteceu hoje em um cemitério na capital mineira…”

– Várias pessoas foram feridas…. as pessoas que estavam sendo veladas se levantaram de seus caixões…”

– Minha irmã pensou que o marido estava vivo, ele estava se mexendo…”

– Que Deus nos perdoe…”