Sam e Rowena juntos??
Mais vídeos de Vingadores: Era de Ultron!!
Maria Hill Retorna em Agents of SHIELD
iZombie- bebendo Cérebro de canudinho!
Klaus sendo Klaus!

Tag: ‘review’

O título do “Everyone Has a Cobblepot” já é suficiente para criar expectativa positiva sobre o episódio 18 de Gotham, e quatro episódios antes da season finale, o que temos é um episódio consistente e satisfatório, com um tom levemente mais sério do que os anteriores.
Focado em apenas duas histórias principais, o episódio só foca em algo diferente dessas duas no início, quando vemos Alfred no hospital após ter sido esfaqueado por seu ex-colega militar, Payne. Bruce não saiu do lado de seu mordomo, e eles recebem uma visita de Jim Gordon, que faz algumas perguntas sobre o acontecimento e Alfred limita-se a dizer que foi salvo por Bruce, ocultando o fato de quem foi o responsável por seu ferimento.

Através de Fish, que no episódio passado arrancou seus próprios olhos, conhecemos o Dr. Dulmacher, responsável pela prisão subterrânea (com fins médicos um tanto duvidosos) onde ela foi parar e descobrimos que ela ganhou um novo (lindo, e azul) olho. Sem enrolação, Fish revela ao doutor seu desejo de se tornar sua mão-direita, afirmando que agora que ele experimentou o que é tê-la como inimiga, ele certamente vai querê-la como amiga. Depois de tentar, inutilmente, mudar de assunto, o Doutor acaba por fechar uma espécie de acordo, mas não sem antes mostrar de um jeito bem bizarro, o que acontece caso ela falhe.

Todo o arco de Fish deixa no ar uma dúvida: com quem está sua lealdade? Ao mesmo tempo que ela parece não estar se importanto mais com os presos, uma vez que agora já conseguiu sua liberdade, ela também aparenta estar tramando toda uma traição contra o Dr. Dulmacher. Como já foi provado mais de uma vez, Fish não tem medo do perigo e nem de se impor, portanto, acho completamente plausível que ela esteja jogando com ambos os lados da moeda em prol de benefício próprio.

Enquanto isso, a segunda trama principal do episódio gira em torno de Jim Gordon, Harvey Dent e Bullock, entre esses três, uma história muito bem conectada se segue. Começando por Arnold Flass, que após ter sido preso por Gordon (com muito esforço), foi solto e inocentado das acusações, além de possível indicado para o futuro cargo de Comissário. É revelado que Flass foi solto por conta de um depoimento de uma testemunha que o inocentava das acusações, e essa testemunha é a pessoa que Gordon menos esperava, Harvey Bullock. Isso cria uma atmosfera tensa entre ambos e até certa mágoa da parte de Jim, de um lado existe aquele que já sabe e aceita como o sistema funciona e do outro aquele que se recusa a aceitar as coisas como elas são, porque não as acha certas.

Gordon pede ajuda a Dent para coletar algo que possa ajudá-lo contra Loeb, que concordou e ajudou na soltura de Flass. As cenas entre os dois fluem de forma muito boa, Dent é um cara esquisito, mas ainda assim um personagem interessante por quem é possível criar empatia. Enquanto fatos comprometedores sobre o passado das autoridades de Gotham são descobertos, é possível mais uma vez reafirmar que Gotham é uma cidade suja, onde sempre haverá algo por debaixo dos panos e onde todos tem de fato “um Cobblepot”, ou seja, algo que pode comprometê-los.

Nesse processo investigativo entre Gordon e Dent, eles acabam por envolver Bullock, e depois Pinguim, à quem Jim muito convenientemente pede um favor, uma vez que Loeb e Falcone trabalham juntos, e isso se torna um assunto que é do interesse de todos ali. Então, eles descobrem quem é o Cobblepot de Loeb, sua filha, Miriam Loeb, à qual ele mantém trancada num quarto para protegê-la do fato de que ela matou a própria mãe. Pronto, Jim tem seu truque na manga, e não vai hesitar em usá-lo para conseguir o que quer de Loeb, essa atitude resulta numa das falas mais interessantes do episódio, quando Loeb diz para o detetive “você é mais frio do que eu pensava”, o que possibilita que o público enxergue isso também. Gordon está jogando o jogo de Gotham, e está jogando bem.

Outro que também joga bem é Pinguim, embora seja sempre bom frisar que ele é um tanto medroso, ele também é ambicioso, e em sua busca por poder e controle, ele é capaz de ser extremamente calculista, como é mostrado em sua última cena do episódio, onde ele faz com que uma pessoa assassine outra apenas usando seu poder de persuasão.

Para quebrar a tensão do episódio, existem pequenas cenas de Edward Nygma e suas tentativas, sempre frustradas de conseguir algo a mais com Mrs. Kringle. Como esperado, ele não consegue nada, e sua frustração em relação a isso mostra um Nygma sério e sombrio, que vai bem além de suas charadas.

Everyone Has a Cobblepot foi um dos episódios mais consistentes da temporada, e também estabeleceu um tom predominantemente mais sombrio, levando a série cada vez mais a fundo em Gotham City e no que essa cidade pode fazer das pessoas, ou no que as pessoas fazem dela.

Olá pessoal, como vocês estão?
Depois de dois episódios carregados de tensão essa semana Castle vejo com seu habitual bom humor e que episódio, eu amei esse episódio, o Castle todo empolgado e a Beckett tetando manter a linha é a essência da série e neste episódio tivemos isso.
Um episódio que teve um caso bastante curioso, mais que do inicio ao fim me surpreendeu, as reações do Castle ao encontrar a filha brincando de Laser Tag com o namorado e depois a mãe descendo as escadas com o namorado que vestia seu pijama foram ilarias, assim como a maneira que Alexis falou com o pai e madrasta quando flagrou os dois aos beijos na porta de casa, eu adorei essas cenas e a cena final com a Martha, foi algo que me deixou com cara de boba tanto quanto Rick e Kate, essa série mesmo após sete temporadas consegue me surpreender a cada dia e falando nessa temporada, os episódios estão cada vez melhor, impossível não se empolgar com essa temporada.
A investigação da semana me fez rir muito, afinal as reações do Castle eram hilarias, o que foi ele andando com roupa de astronauta e fingindo estar realmente em Marte?
Eu assisti o episódio mais de uma vez e em todas não conseguia parar de rir.
O episodio foi muito bem escrito e dirigido, grande destaque para a equipe técnica pela montagem do cenário, ficou perfeito.
Quando você pensa que apenas o Rick Castle tem seus sonhos “malucos’, você é surpreendido por Kate Beckett falando que também havia se inscrito para uma viagem para marte, eu amei isso. Esses dois realmente são almas gêmeas.
Esse grande episódio venho com chave de ouro, para fechar o mês de fevereiro para Castle, que ficará algumas semanas sem episódios, voltando no dia 16/03 e com um episódio que promete ser top, afinal Kate Beckett estará se sentindo ameaçada.
créditos do vídeo ( ´Castle & Beckett Brasil )

bom fim de semana pessoal, até breve.

Em meio aos tons cinzentos e frios da cena inicial, um capuz vermelho nas mãos de um garoto se destaca e sem enrolação o título do episódio já é colocado em cena. Daí pra frente, o capuz passa por várias pessoas, mas com apenas uma mensagem: não importa quem o está usando, o que importa é o significado que o capuz passa a ter para os cidadãos de Gotham. E esse significado também já se estabelece logo no início, quando um assaltante de banco pertencente a uma gangue -o primeiro a usar o capuz- joga parte do dinheiro roubado para as pessoas que estão na rua no momento, utilizando isso como distração para poderem fugir, mas além disso, representando toda a corrupção e sujeira da cidade. O capuz vermelho é tudo o que há de errado com a cidade.

Duas tramas pequenas ocorrem funcionando como pequenos intervalos que intercalam os dois principais acontecimentos do episódio, que foca na busca de Jim e Bullock pelo dono do capuz e no encontro de Alfred com um Reginald Payne, um velho amigo que foi seu parceiro nas forças armadas.
Vemos Pinguim tentando manter os negócios em ordem e não obtendo muito sucesso, grande parte devido ao ódio que Maroni tem dele agora. E vemos Fish, que em sua luta pela sobrevivência acaba numa cena digna (e muito provavelmente, inspirada) de Quentin Tarantino.

Enquanto isso existem duas cenas menos exploradas, mas que são interessantes. A primeira, é o momento em que um homem está no palco do aparentemente único nightclub de Gotham fazendo uma apresentação de stand-up comedy, e falhando miseravelmente na arte de fazer rir. Isso automaticamente remete ao nosso querido Joker. Seria essa mais uma pista?

E a outra se passa no apartamento de Jim Gordon (que pode ser considerado apenas um apartamento, já que Gordon não passa tempo nenhum lá) numa cena entre Barbara (surpreendentemente não tão chata), Ivy e Cat. Barbara fala sobre como a beleza pode ser utilizada como uma arma poderosa, e a reação individual de cada uma das garotas dá as primeira características à quem elas virão a ser futuramente.

De volta à Mansão Wayne, Bruce insiste para que Payne passe alguns dias com Alfred e ele, o que mais pra frente se mostrará uma péssima decisão. As conversas de Alfred e Reymond sobre o tempo que em que estavam na guerra são muito boas, não há exagero, mas tensão na medida certa. Após tudo isso, no entanto, Payne mostra a que veio, e não foi coisa boa, ele está ali por ordem de pessoas da Wayne Enterprises, para espionar e descobrir quais informações Bruce conseguiu até agora, e ao ser pego por Alfred “roubando”, ele esfaqueia o -será que podemos chamar de velho amigo?- mordomo, e essa é a cena mais surpreendente (perdendo apenas talvez para Fish Mooney) e emocionante do episódio inteiro.

O capuz vermelho (sempre mostrado em destaque com relação ao cenário, este que na maioria das vezes é a desesperançosa e sem cor Gotham) agora já passou por diversas pessoas, até que finalmente um de seus donos foi morto, mas como dito no início: não são as pessoas, é o capuz. Então, na deixa certa para os próximos episódios, enquanto a polícia se concentra na cena de assassinato pós assalto a banco, o capuz encontra seu novo dono.

Destaque para uma frase dita por Pinguim, e que resume perfeitamente sobre o que o episódio se trata:

“Esta cidade está realmente indo para os cachorros.”

Olá pessoal, ainda estou me recuperando do episódio desta semana de Castle, que episódio fantástico, épico, um episódio que me deixou apreensiva do começo ao fim, foi difícil respirar, piscar então acho que foi algo que eu não fiz.
O segunda parte do episódio duplo, teve um roteiro perfeito, direção incrível e atuações fantásticas dignas de muitos prêmios.
É até difícil escrever sobre um episódio como esse, um episódio que deixou todos com os nervos a flor da pele e que teve reviravoltas do inicio ao fim, como não sofrer assistindo um Castle sofrendo e determinado para encontrar sua esposa ?
Acredito que todos que assistiram tiveram a vontade de ver o Castle matando o Tyson, a raiva que o Rick entrou naquele apartamento e bateu no Tyson foi incrível, aos que reclamavam que faltava emoção da parte do Castle quando a Beckett esta em perigo, acho que agora devem se sentir satisfeitos, ou não, eu sei que me agradou muito.
A maneira que o caso se desenvolveu me agradou muito, quando todos pensávamos que Tyson, tinha ganhado o jogo, veio a resposta do Castle, mostrando que na verdade quem tinha sido enganado foi Tyson.
As poucas cenas de Beckett foram algo que ficaram na historia dessa série, a maneira como ela conseguiu se livrar da Dra. Nieman, foi incrível, em um mesmo episódio, tivemos Badass Castle e Badass Beckett.
O desfecho do episódio foi de uma perfeição incrível, o rosto da Kate transtornado após matar a dra será algo que eu nunca irei esquecer.
Destaques do episódio para a atuação de Nathan e Stana, que a cada dia conseguem ser mais perfeitos.
E que atuação dos convidados, Annie e Mosley foram perfeitos, merecem todos os nossos aplausos.
Quem merece um grande destaque pela temporada e pelo episódio é Penny ou Capitã Gates, as cenas dela com Castle foram minuciosamente incríveis, Penny merece todos os destaques pela grande atuação.

Aliás falando em Penny, eu amei as cenas de Castle e Gates, lembro das cenas e me emociono.
E falando em emoção, quem não gostou de saber que Castle esta de volta ao 12º distrito, agora é nos preparar para as próximas emoções, porém antes tenho que destacar as cenas Caskett, eles conversando na cama, cada um falando do seu medo e Castle falando que não sabe como a Kate aguentou os dois meses que ele esteve desaparecidos, afinal ele em 2 já estava se sentindo no fundo do poço. Foram cenas simples porém carregadas de emoção, como não amar esse casal.
Agora a pergunta que fica é, teremos uma Beckett traumatizada?
Que venha segunda para sabermos se teremos alguma abordagem do tipo.

Promo do Proximo episódio.
Creditos: Castle & Beckett Brasil

Imagem de Amostra do You Tube

até a próxima semana pessoal, aproveitem o restinho da semana!!

Foi ao ar essa semana o episódio 16 de Gotham, que chegou cercado de expectativa e ansiedade por parte dos fãs devido ao teaser lançado onde era mostrada a risada sinistra do ator Cameron Monaghan e especulado que o mesmo interpretaria o vilão Joker (inclusive na página oficial de Gotham foram lançadas várias imagens que fortaleciam o fato, como o trocadilho que dizia que “the next villan is no joke”). Mas após terminar de assistir o episódio, uma dúvida permaneceu, fomos de fato apresentados ao Joker?
Como um jeito meio conveniente de introduzir os Grayssons (os pais de Dick Graysson, futuro Robin) na série, o Detetive Gordon e a Doutora Leslie Thompkins estão no circo assistindo aos acrobatas Grayssons Voadores se apresentarem, quando uma briga no palco começa, decorrente de uma rixa entre eles e a família Lloyd (e de todos os policiais da DCPG, ninguém melhor para estar ali num encontro casual do que James Gordon, não é?).

O crime da vez é que uma mulher foi assassinada, Laila Sobrenome Não Dito Nenhuma Vez, uma dançarina de cobras, e foi por conta dessa que a briga no circo aconteceu, e então é apresentado Jerome, seu filho e o suposto Coringa (vide as promos do episódio), com a pele extremamente pálida e os cabelos ruivos, além de uma expressão meio psicopata. Toda a cena que vai desde Jerome conversando com Gordon até encontrarem o corpo de Laila é muito bem feita, com excessão de que a cobra com a qual Laila dançava está dentro de uma espécie de caixa, mas que tem grades espaçadas, por onde uma cobra passaria tranquilamente. E quando Gordon pede para soltarem-na, fica inevitável não pensar algo do tipo “porque diabos colocaram uma cobra presa num local com grades?”.

Quem conhece a história do Batman sabe que o Coringa não tem uma origem oficial, existem diferentes histórias sobre como o personagem se tornou o que é, uma das mais conhecidas e aceitas é a apresentada na HQ A Piada Mortal, mas que, ainda assim, não é confirmada. Isso dá um mar de possibilidades para que a série brinque, especule e dê pistas e mais pistas até finalmente decidir apresentar o personagem.

Por isso, acredito que Jerome, mesmo com sua risada maníaca e digna de Coringa, não seja de fato o vilão, mas sim um meio que está ali para um fim, uma peça no quebra-cabeça, um primeiro degrau para chegar finalmente no maior vilão do universo Batman. Meu palpite é que ainda é cedo para introduzir um personagem desse peso, os fãs tem expectativa demais, e a série vai muito bem com as tramas inseridas até agora para arriscar-se tanto de uma vez só, e por isso, estão indo com calma, aos poucos, brincando com a cabeça dos fãs, deixando especularem, jogando uma pista de cada vez para que então, quando tudo estiver encaixado, eles façam a jogada de mestre.

Em paralelo, nos subterrâneos de Gotham, Fish Mooney luta para sobreviver, agora que já se sabe o que ocorre naquele lugar, torcer para que ela consiga se salvar e para que volte e resolva seus negócios pendentes, é normal e até esperado. Fish é poderosa e esperta, ela é uma líder nata e é interessante ver como no meio de seu egoísmo e vontade de salvar a própria vida, ela ainda consegue se importar com um grupo de pessoas que conhece a pouco tempo, mesmo que seja apenas para seu próprio benefício.

Já na Mansão Wayne, um assunto apresentado vários episódios antes volta para a trama, mostrando que por enquanto não existe nenhuma cena à toa na série, Bruce consegue a reunião com os membros das Empresas Wayne, onde quer discutir as irregularidas como corrupção e produção de armas químicas que descobriu. O garoto já é um CEO e nem tem idade para presidir a própria empresa ainda, com muita presença e segurança de si mesmo ele discursa em frente à pessoas adultas, que visivelmente sentem-se ameaçadas pelo conhecimento do garoto. Bruce Wayne está começando a ser Bruce Wayne, querendo justiça e coisas feitas do modo correto, e juntamente com isso vem os perigos e pessoas que querem acabar com ele. Ainda deve demorar para que o garoto se torne o Cavaleiro das Trevas, mas o espírito e motivações já foram plantados.
(Nota: vocês repararam que em quase todas as cenas onde Bruce conversa com Alfred a câmera da a volta no garoto e o filme de trás? Achei isso bem interessante, como uma marca para todas as conversas Alfred-Bruce.)

De volta à Jim Gordon e suas expressões duronas e caras de sofrimento, volta também aquela que não estava fazendo falta, Barbara Gordon, que depois de levar um pé na bunda da detetive Montoya quer voltar correndo pros braços do coitado (aliás, Montoya que também sumiu e não voltou mais). Barbara vai ao apartamento de Jim e encontra Cat e Ivy, que estão utilizando o local como uma espécie de abrigo, arrependida e querendo surpreender o detetive,com a ajuda das duas meninas ela se troca, vestindo algo “casual como se você estivesse desinteressada” nas palavras de Cat, e vai até a delegacia onde ao invés de surpreender, é surpreendida ao ver Jim aos beijos com Leslie.

A função de Barbara (que é linda, mas extremamente chata) nesse episódio, foi mostrar que ela voltou mesmo e que está arrependida, além de causar uma provável confusão na cabeça do Detetive Gordon, que pode ficar dividido entre Leslie e Barbara. Na humilde opinião dessa que vos escreve, o relacionamento dele com a Doutora Thompkins funciona muito mais do que com Barbara, o relacionamento dos dois é divertido, leve e gostoso de acompanhar, diferente da atmosfera tensa e cheia de segredos e mistérios que envolve Barbara e Jim.

Por fim, Pinguim ataca novamente! Mais violento e com o poder subindo cada vez mais a sua cabeça, porém ainda assustado e medroso, Oswald Cobblepot está cada vez melhor e mais interessante. Enquanto está aproveitando seu momento como dono do antigo clube de Fish, ele é surpreendido por Victor Zsasz e seu semblante sempre creeppy, e os dois tem um breve momento de vilão-contra-vilão até que mais uma surpresa chega, o Butch! Lembram do fiel assistente de Fish Mooney? O gordinho camarada que mata e morre por ela? Então, ele voltou e ainda mais…inofensivo?! Parece que Pinguim ganhou um novo aliado.

Episódio excitante e instigante, com muita coisa acontecendo e bastante informação para absorver, mas nada que o deixe cansativo, o que é ótimo. Agora, é esperar pelo próximo episódio, intitulado de Red Hood, onde mais um personagem será introduzido na trama e esperar também pelo destino do personagem Coringa.
Vale lembrar que em entrvista ao E! News, o produtor executivo da série Bruno Heller disse que “Cameron Monaghan não é necessariamente o Coringa, ele pode ser” e disse ainda que isso é o começo da história do vilão e de como e porque se tornou o que é. Ou seja, teremos de esperar pra ver, e sinceramente, se continuar do jeito que está, não me importo de esperar.

Olá pessoal, wow, ainda estou me recuperando do episódio desta semana de Castle, um grande episódio que trouxe o Retorno do 3XK e da Dra. Kelly, ambos ainda mais assustadores, foi um grande episódio que me prendeu de uma maneira incrível, as atuações do nosso elenco regular e dos convidados foram de um brilhantismo indecifrável e foi apenas o começo, na próxima segunda teremos a continuação desse episódio, eu já estou nervosa só de imaginar.
Ressurrection com certeza entrou para a galeria de melhores episódios da série, um ótimo roteiro e atuações de gala, cada nova pista e todo o cinismo envolvendo o principal suspeito nos deixa com vontade de mais e mais, David Amann conseguiu escrever um capitulo incrível e que com certeza balançou as estruturas emocionais de todos os fãs. Durante o episódio por várias vezes quis bater na cara do Jerry e da Dra, agora as duvidas são, como eles conseguiram que os testes de DNA dessem negativos, quem é o cúmplice no sequestro da Beckett?

Nossos queridos vilões voltaram ainda mais insanos e podem ter certeza, que o episódio da próxima segunda feira, vai ser de emoção do inicio ao fim, preparem as bombinhas e o coração, pois segunda feira terá teste para cardíaco.

Promo e Sneak Peek do próximo episódio
creditos – Youtube – Castle & Beckett Brasil

até a próxima semana,

beijos e bom carnaval.